Ministro Alexandre de Moraes fala em entrevista sobre temas em discussão na sociedade

23/10/2020 21h40 - Atualizado há

O ministro Alexandre de Moraes participou, na tarde desta sexta-feira (23), de uma live nas redes sociais da revista IstoÉ. Na conversa com o jornalista Germano Oliveira, diretor de redação, o ministro falou sobre diversos assuntos relativos à Corte.

O ministro defendeu a atuação do STF em prol das garantias democráticas e no combate à desinformação (fake news). Durante a live, ele rechaçou manifestações intimidatórias à Corte e falou sobre a importância e a necessidade de se impor medidas efetivas para combater ataques ao Supremo Tribunal Federal. “Se não fosse a instauração do inquérito contra a tentativa de ruptura democrática do país, nós, hoje, não teríamos os instrumentos necessários para manter a democracia e a institucionalidade no país”.

Ao ser perguntado sobre a chegada do novo integrante do Tribunal, Alexandre de Moraes disse que, apesar de o ministro Celso de Mello ser uma pessoa insubstituível, a experiência jurídica de Kassio Nunes Marques vai agregar conhecimento ao Tribunal. “Não tenho dúvidas de que será uma grande contribuição ao STF”, afirmou.

Eleições

Integrante do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Alexandre disse que a Justiça está atenta às movimentações das milícias digitais nas eleições deste ano, e que qualquer irregularidade no uso de perfis falsos para a disseminação de notícias fraudulentas será devidamente responsabilizada. “Hoje, nós já sabemos como funciona essa estrutura. Não só podemos coibir, mas descobrir quais são os responsáveis”, disse.

Covid-19

Em relação à discussão que envolve a imunização da população contra a Covid-19, o ministro ressaltou que essa questão ainda deve ser alvo de análise perante o colegiado do Supremo. Para ele, ainda é cedo para se manifestar acerca do caso, a fim de não tomar posição e nem adiantar qualquer análise de voto que eventualmente irá proferir.

Para o ministro Alexandre de Moraes, esses são temas sensíveis e que merecem uma resposta contundente do Poder Judiciário. “O Supremo Tribunal Federal vai manter a democracia, vai manter a institucionalidade e vai manter o Estado de Direito no Brasil, porque essa é a nossa missão constitucional”, concluiu.

PS/EH//SGPr